Top Menu

Mary King’s Close

Continuando nossa visita ao mundo dos fantasmas, vocês irão agora conhecer um pouco do “Mary King’s Close”, que é famoso por suas histórias de fantasmas e acontecimentos paranormais inexplicáveis.

Preciso primeiro explicar o que é um “close”, para que vocês possam ter uma ideia do que estou falando.

Edimburgo é uma cidade cuja espinha dorsal  foi construída sob uma coluna de rocha formando a  rua principal da Old Town – Royal Mile. Do castelo de Holyrood até o topo da Royal Mile uma série de becos, em inglês chamados de “close”, cresceu ao longo desta rua, por conta do declive formado pela rocha, contendo prédios de até sete andares.

No século 17, um advogado famoso e de muito dinheiro, chamado Alexander King, era proprietário de vários prédios em um dos maiores becos. Ele tinha uma filha de nome Mary. Em homenagem à filha, o close levou seu nome: Mary King’s Close.  Era bastante incomum um beco receber o nome de uma mulher naquela época, mas documentos mostram que Mary foi uma empresária de sucesso em 1630, o que explica o fato!

Com a construção do prédio da Royal Exchange em 1715 (hoje City Chambers – Câmara Municipal), os prédios que constituíam os becos, foram parcialmente destruídos, melhor explicando “decapitados”, e sua estrutura foi usada como base para a construção nova, formando então uma cidade subterrânea, onde ocorreram muitas mortes, até seu fechamento ao público por muitos anos.

Por conta das diversas histórias de mortes, torturas, e sendo também usado como local de quarentena quando a peste negra aterrorizou a cidade, o local foi envolto em mitos e lendas urbanas, contos de fantasmas e assassinatos, histórias de vítimas da praga onde diziam que eram emparedadas e deixadas para morrer no local.

Gostaria de ouvir mais a respeito das histórias das vítimas do Close? Não deixe de fazer o tour ao Mary King’s Close quando estiver em Edimburgo. Você poderá ter sensações nunca antes vivenciadas… se for corajoso o suficiente!

Assista o vídeo que ilustra nosso post: