Top Menu

Robert the Bruce (1274-1329)

Robert The Bruce, Stirling - Destino EscóciaRobert the Bruce nasceu no dia 11 de julho de 1274, provavelmente no castelo Turnberry. Ele era descendente da nobreza escocesa, da gaélica e da inglesa. Sua mãe, a condessa Marjorie de Carrick era herdeira de um condado gaélico.

O avô do Robert, o Robert Bruce “The Competitor”, foi um dos pretendentes ao trono escocês. O pai do Bruce, Robert Bruce de Annandale, lutou em Gales para o rei Edward I e se tornou governador do castelo de Carlisle. O Bruce também lutou ao lado do rei Edward na batalha de Dunbar em 1296. Os Bruces recusaram apoiar o reinado do escocês John Balliol e ficaram ao lado do rei inglês Edward I. Por esse motivo, o Balliol deu as terras dos Bruces aos Comyns.

Em 1298, o Robert the Bruce se tornou o guardião da Escócia ao lado do seu rival John “Red” Comyn de Badenoch e do William Lamberton, o Bispo de St Andrews. Quando o Bruce se desentendeu com o Comyn, ele resignou ao cargo de guardião. Em 1302, Bruce se declarou submisso ao Edward I da Inglaterra.

O pai de Bruce faleceu em 1304. A partir de então o Bruce passou a ter direito a  reivindicar o trono para si. No dia 10 de fevereiro de 1306, ele se encontrou com o John Comyn de Badenoch na igreja Greyfriars em Dumfries. Eles discutiram e o Bruce matou o John dentro da igreja, próximo ao altar. O Papa da época com razão o excomungou. Porém, o Bispo de Glasgow, o Robert Wishart absolveu o Bruce do seu pecado e o apoiou para que ele se tornasse o rei da Escócia.

No dia 27 de março de 1306, o Bruce foi coroado em uma cerimônia pequena e às pressas em Scone. Para o rei inglês Edward I, o rei Robert the Bruce era um usupardor que deveria ser derrotado. O Edward I começou uma retalhação rápida e brutal. A mulher, filha e irmãs do Robert foram feitas prisioneiras na Inglaterra. Os irmãos de Bruce foram enforcados, afogados e decapitados. Robert então fugiu e passou um longo inverno escondido nas ilhas da costa oeste da Escócia.

Passado um tempo, o Bruce se recuperou e começou a atacar seus iminigos. Suas tropas derrotaram os homens de Edward em Glen Trool e Loundon Hill (Loundon mesmo e não London). Em julho de 1307, Edward I faleceu e o Bruce passou a ter de enfrentar seu novo inimigo: o Edward II.

O Bruce também atacou todos os seus inimigos escoceses: os Comyn, os Buchan e outros nobres que não eram a favor de seu reinado. Ele foi vitorioso e muitos tiveram que passar a apoiá-lo.

Robert The BruceEm 1314, o exército de Edward II marchou em direção ao Castelo de Stirling. O Bruce deu a Edward II um ano para que as suas tropas abandonassem o castelo ou se rendessem. Ambas as tropas se enfretaram na Batalha de Bannockburn nos dias 23 e 24 de junho de 1314. Milhares de homens foram mortos quando os escoceses derrotaram o exército de Edward II. Registros contam que o rio ficou saturado de cadáveres. O rei Edward II fugiu e retornou à Inglaterra. O Bruce conseguiu então negociar o retorno de sua família que seguia prisioneira de Edward II em troca da libertação de nobres ingleses por ele capturados.

O Rei Robert I ganhou reconhecimento internacional. Dois anos mais tarde os escoceses enviaram uma carta ao Papa: a Declaração de Arbroath. Esta declaração passou a ser um dos documentos mais importantes da história da Escócia e as frases abaixo se tornaram símbolos do orgulho escocês:

…we have been set free… by our most tireless prince, King and lord, the lord Robert…  Yet if he should give up what he has begun, seeking to make us or our kingdom subject to the King of England or the English, we should exert ourselves at once to drive him out as our enemy… and make some other man who was well able to defend us our King

…fomos libertos… por nosso incansável príncipe, rei e lorde, o lorde Robert…  Assim mesmo, se ele tivesse desistido do que havia começado e procurasse fazer com que nós ou nossa nação nos sujeitássemos ao rei da Inglaterra ou aos ingleses, nós nos esforçaríamos para tirá-lo do poder como se fosse nosso inimigo… e faríamos nosso rei outro homem que pudesse nos defender…

…as long as a hundred of us remain alive, never will we on any conditions be subjected to the lordship of the English. It is in truth not for glory, nor riches, nor honours that we are fighting, but for freedom alone, which no honest man gives up but with life itself.

…enquanto cem de nós permanecerem vivos, nós nunca, sob nenhuma circunstância, seremos súditos do reinado inglês. Em verdade não é por glória, riqueza ou honraria que lutamos, mas pela liberdade, a qual nenhum homem honesto abre mão senão com a própria morte.

Em 1327, o rei Edward II foi deposto pela sua rainha Isabella. Os ingleses fizeram as pazes com os escoceses e renunciaram o direito à soberania sobre a Escócia.

O Bruce viveu em relativa paz, confortavelmente em uma mansão até sua morte no dia 7 de junho de 1329. Ele pediu ao James Douglas levar seu coração em uma cruzada religiosa. Seu corpo foi enterrado na Dunfermline Abbey, ao lado de sua esposa Elizabeth. O coração de Bruce foi então enterrado na Abadia Melrose.