Top Menu

Castelo de Edimburgo

1. A Sala das Joias da Coroa e a Pedra do Destino onde se encontram os tesouros mais importantes da nação.

As Joias da Coroa, The Crown Jewels

São símbolos preciosos dos reinados antigos e estão em exibição na sala da Coroa. A sala foi construída em 1617 em comemoração ao jubileu de ouro do reinado do James VI. A coroa, o cetro e a espada datam do final do século XV e início do século XVI. Acredita-se que o cetro foi presente do Papa Alexander VI em 1494 e a espada presente do Papa Julius II em 1508. A coroa foi feita pelo ourives John Mosman que morava na Royal Mile. Ele derreteu o ouro da coroa anterior e adicionou mais ouro e pedras preciosas ao fazer a nova coroa. A coroa, o cetro e a espada foram utilizados juntos pela primeira vez durante a coroação da Mary Queen of Scots no castelo Stirling em 09 de setembro de 1543, quando ela era ainda bebê. Os relatos contam que ela chorou durante a cerimônia inteira. Estes objetos simbólicos ainda fazem parte das cerimônias oficiais escocesas. Eles foram enterrados 3 vezes, duas vezes nos anos 1650 para esconder de Oliver Cromwell e 1 vez durante a 2a. Guerra Mundial para protegê-las no caso de uma invasão nazista.

A Pedra do Destino, The Stone of Destiny

Na época medieval muitos estudiosos acreditavam que a pedra tinha origem bíblica. Alguns pensavam que era o travesseiro no qual Jacob sonhou com sua escada. Outros acreditam que a pedra tenha sido trazida do Egito pela filha do faraó. Foi utilizada em coroações durante muitos anos. Estava localizada originalmente em Scone, perto de Perth. Lulach, enteado de Macbeth sentou-se nesta pedra e foi proclamado rei dos Scots em 1057. Desde então até 1292 foi utilizada na coroação de todos os monarcas escoceses. Em 1296, Edward I da Inglaterra invadiu a Escócia e levou a Pedra do Destino com ele para Londres. A partir desta data todos os monarcas ingleses e britânicos foram coroados nela (com somente duas exceções: o rei Edward V e o rei Edward VIII). Em 1950, 4 estudantes “sequestraram” a Pedra que então se encontrava na abadia de Westminster em Londres. Ela apareceu na abadia de Arbroath no nordeste de Edimburgo. Esta abadia é famosa pois foi lá onde houve a Declaração de Arbroath que reforça a independência da Escócia em relação à Inglaterra. A Pedra foi posteriormente devolvida à abadia de Londres. Em 1996 a rainha Elizabeth permitiu que a Pedra retornasse à Escócia depois de 700 anos!! O papel simbólico da Pedra permanecera o mesmo e ela deverá ser levada a Londres para as futuras coroações.

2. O Grande Salão, The Great Hall

Onde estão expostas as armas e armaduras do castelo assim como a sua “chave”.

3. O Palácio Real, The Royal Palace

Criado em 1617 em homenagem ao rei Jaime VI.

4. A Capela da Santa Margaret, St Margaret’s Chapel

Margaret nasceu por volta de 1045, parte da família real inglesa. Depois da invasão dos normandios em 1066, ela fugiu para a corte de Malcolm III da Escócia. Eles se apaixonaram e se casaram. Malcolm era guerreiro e lutava contra os normandios que tentavam conquistar a Inglaterra. Margaret era uma moça muito religiosa. Em 1093, Malcolm e seu filho mais velho Edward foram mortos durante uma emboscada. Ao saber da morte dos dois, Margaret foi a sua cama e faleceu de tristeza. A capela foi construída por seu filho mais novo David que se tornou rei David I em 1124. É considerado o edifíco mais antigo de Edimburgo. Margaret foi canonizada em 1250 por sua generosidade e piedade.

5. Prisões de Guerra, Prisons of War

Exibição que mostra como era a vida dos prisioneiros no castelo no final do século XVIII. Durante séculos, o castelo foi utilizado como prisão. Na época medieval, os criminosos comuns eram jogados nos calabouços do castelo. Alguns presos foram executados alí. Anos mais tarde, os prisioneiros trazidos eram soldados inimigos, piratas, traidores e mulheres acusadas de bruxaria. Execuções públicas eram comuns durante o século XVI. Prisioneiros eram enforcados, decapitados ou queimados no Castle Hill (hoje Castle Esplanade). No século XVII quando o movimento da Igreja Presbiteriana escocesa chamado Convenanters ameaçava a autoridade da coroa real o castelo passou a ser também um lugar de tortura. Prisioneiros estrangeiros foram trazidos ao castelo durante vários períodos da história. Tropas francesas, holandesas, espanholas, irlandesas, italianas, dinamarquesas, polonesas e americanas foram aprisionadas no castelo durante a Guerra dos Sete Anos (1756-63), a Guerra Napoleônica (1803-15) e durante a Guerra de Independência dos EUA (1775-83).

6. Mons Meg

É um dos canhões mais antigos da Europa e disparava pedras de 150kg por até 3,2km de distância. Também conhecido como o canhão da uma hora (One o’Clock Gun) pois foi e continua sendo disparado todos os dias às 13:00 (desde 1861).

7. O Memorial Nacional das Guerras, National War Memorial

Uma homenagem a todos aqueles que perderam a vida em conflitos armados desde a Primeira Guerra Mundial.